Começou a Conferência Brasileira de Mudança do Clima 2021

Evento chega a 3ª edição ainda mais robusto

A terceira edição da Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC) já começou e vai até dia 01/10.

São 5 dias de diálogos que serão transmitidos gratuitamente pelo canal do Ethos no YouTube.

www.climabrasil.org.br

O aumento na quantidade de dias e consequentemente de atividades do evento se explica pela urgência que a agenda de meio ambiente e clima tomaram no cenário nacional. O negacionismo expresso pelo governo federal, que inclusive foi o motivo para que a CBMC fosse criada em 2019, se aprofunda cada vez mais, fragilizando o cumprimento das metas as quais o Brasil é signatário e reverberando em diversos setores: da vulnerabilidade de nossos biomas e povos tradicionais, aos impactos econômicos que o país vem sentindo ao passo que transmite uma visão internacional de descaso e retrocessos.

“O Brasil, ao reverter de forma acelerada a tendência de redução do desmatamento da década anterior e seu protagonismo na agenda e governança climática, tornou-se alvo da pressão de investidores, empresas e da comunidade internacional. Ações precisam ser tomadas emergencialmente para frear os retrocessos e caminharmos para o cumprimento das metas anteriormente assumidas no âmbito do Acordo de Paris. Precisamos retomar a trilha da sustentabilidade para preservação do futuro que almejamos ter”, acredita Caio Magri, diretor-presidente do Ethos.

Após duas edições de grande sucesso (2019 e 2020), as diversas atrações, debates e painéis irão refletir sobre os caminhos da retomada do necessário compromisso climático firmado pelo Brasil. A NDC brasileira, a descarbonização e a litigância climática estão entre as pautas da CBMC 2021.

Desde a primeira edição, presencial, na cidade do Recife, em 2019, a Conferência denota como uma oportunidade de promover o diálogo sobre como retomar a trilha da responsabilidade climática, da participação da sociedade, da consolidação de pactos internos, de fortalecimento e de ampliação da agenda de mudança do clima.

O encontro reúne organizações não governamentais, movimentos sociais, povos tradicionais, governos, comunidade científica e os setores público e privado. Além do Ethos, são correalizadores da CBMC 2021: Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), Centro Brasil no Clima (CBC), Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), Fundação Amazonas Sustentável (FAS), FGV/EAESP – Centro de Estudos em Sustentabilidade, Fundacion Avina, Hivos, ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, Instituto Alana, Instituto Clima e Sociedade (iCS), Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM Amazônia), Fundação Konrad Adenauer (KAS), Observatório do Clima, Prefeitura do Recife, Projeto Saúde & Alegria, Rede Brasil do Pacto Global, Rede de Cooperação Amazônica (RCA), Reos Partners, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento de Goiás (SEMAD-GO), Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pernambuco, Secretaria Municipal do Clima de Niterói. The Climate Reality Project Brasil e Youth ClimateLeaders.

A abertura do evento já aconteceu!

A 3ª edição da CBMC será transmitida ao vivo no canal de 27/set a 01/out!

Sobre a Programação

No dia 1 de setembro aconteceu a “pré CBMC” na qual duas atividades importantes aqueceram os diálogos que serão promovidos no evento a partir do dia 27 de setembro. Os painéis estão disponíveis gratuitamente, também, no canal do Ethos no YouTube. Emergência Climática e o caminho para a neutralidade de carbono nas cidades e Financiamento Climático: Uma oportunidade para o Brasil foram as conversas iniciais da CBMC em 2021.

Além dessas atividades de “pré-CBMC”, também teremos um painel dentro da programação da Virada Sustentável, que foi transmitido dia 22 de setembro no canal da Virada Sustentável no YouTube: O que é a Conferência Brasileira de Mudança do Clima – Sociedade Civil, Empresas e Governos juntos no enfrentamento às mudanças climáticas.

Mas, para o período entre os dias 27/09 e 01/10, a programação ainda mais extensa, irá contar com especialistas sobre a temática, contemplando painéis que abordarão: ação climática subnacional e justiça climática, entre outros. Confira a programação completa em:

www.climabrasil.org.br

Acompanhe as atividades que o IDS participa:

Painel sobre #ALeiMaisUrgenteDoMundo – APOIE! aleimaisurgentedomundo.org.br

Se a segurança climática é um direito fundamental de todas as pessoas, ela deve orientar decisões e políticas públicas e privadas de incentivos econômicos e de controle e fiscalização. Desse modo, a segurança climática deve ser um objetivo fundamental do desenvolvimento no Brasil e, portanto, um dever do poder público ao adotar ações de mitigação à mudança climática e adaptação a seus efeitos adversos. Por isso, queremos sugerir uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) para inserir a segurança climática em três dispositivos estruturantes de nossa Constituição:

Art. 5º – cláusula pétrea, como Direito Humano Fundamental;

Art. 170 – princípio da Ordem Econômica e Financeira Nacional; e

Art. 225 – núcleo essencial do Direito ao Meio Ambiente ecologicamente equilibrado.

Resta discutirmos, então, como fazer para que o consenso científico e social ao redor do tema da Segurança Climática seja alavancado pelo parlamento brasileiro e reflita-se em nossa Constituição, como um exemplo e um recado claro às demais nações.

Painel com a participação do IDS às 19h30 do dia 29 set

Só vamos cuidar de todas as crianças — como determina o Estatuto da Criança e do Adolescente e o Marco Legal da Primeira Infância —, se enfrentarmos concomitantemente todos os desafios climáticos e socioambientais. O atual cenário de litígios climáticos protagonizados por crianças e adolescentes ao redor do mundo mostra a necessidade de buscar caminhos para o exercício do direito à natureza para as próximas gerações que estão sob constante ameaça dos efeitos das mudanças climáticas impulsionadas pela ação humana. Esse engajamento das infâncias e juventudes para usufruir de um futuro digno e sustentável perpassa pelo entendimento de que o direito à natureza é essencial para a vida de todas as pessoas, em especial das futuras gerações que são as mais afetadas: as nossas crianças. Contudo, de nada adianta esse entendimento sem a real proteção constitucional da natureza com efetiva segurança climática.

Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC)

Quando: 27/09 a 01/10 de 2021

Onde: canal do Ethos no YouTube: https://bit.ly/3C9m4yM

Informações e inscrições: www.climabrasil.org.br | [email protected]

Parceiros