Saneamento em Tempos de Crises

Série de debates marca o Dia Mundial do Banheiro com soluções e perspectivas para o saneamento no país

Os debates pelo Dia Mundial do Banheiro (19/11) começaram!

O IDS participa da iniciativa coletiva “Saneamento em Tempos de Crises” que promove nos dias 22 e 24 de novembro debates sobre o acesso ao esgotamento sanitário no Brasil, um país com 52% da população sem esgotamento sanitário adequado.

É fundamental falarmos sobre Direito Humano ao Saneamento e aprofundar a discussão partindo da meta do ODS 6 da Agenda 2030, de garantir água e saneamento básico à toda população mundial. No Brasil, metade da população não têm acesso ao esgotamento seguro, um direito humano estabelecido pela ONU em 2015.

A programação reúne especialistas e ativistas em ampla reflexão sobre a atual conjuntura brasileira e propostas para universalizar o acesso ao saneamento básico.

Banheiros mudam a vida das mulheres

São mais de 1,5 mi de mulheres sem banheiro no Brasil. Segundo artigo da Agência Brasil, a falta de saneamento básico adequado é uma das causas de doenças como diarreia, que afastam mulheres cerca de 3 a 5 dias, em média, de suas atividades cotidianas como escola ou trabalho, o que afeta diretamente seu desenvolvimento. Além disso, por ainda serem elas as responsáveis pelo cuidado doméstico com crianças e idosos, a falta de água limpa e saneamento faz com que o tempo das mulheres e meninas seja ainda mais escasso. A mulher média no Brasil dedica 70% do seu tempo aos cuidados com alimentação, educação e saúde das famílias.

Elas ainda estão mais suscetíveis a violências sexuais pelo simples fato de não ter um lugar adequado e protegido para sua higiene pessoal. Se separar por região, a situação só piora, pois 70% das mulheres que não têm acesso ao banheiro em casa estão na região Nordeste, e 53,2% das mulheres do Norte e Nordeste não têm um atendimento adequado de água e saneamento.

💧💧 Para que tenhamos uma realidade diferente e justa, foi sancionada ano passado o Novo Marco Legal do Saneamento, que tem como objetivo universalizar os serviços de saneamento básico até 2033.


#DiaMundialdoBanheiro
#WorldToiletDay

Participe!

Inscreva-se, de forma gratuita, através do site www.diamundialdobanheiro.org.br

Programação

Segunda, dia 22/11 – Saneamento em tempos de crises

9h às 10h30 – Saneamento Pós Marco Legal. Lançamento publicação Saneamento 2021 do IAS

10h30 às 12h – “Déficit é mais embaixo”: Monitoramento dos avanços do Saneamento

14h às 16h – Luta por Direitos no contexto de desmonte e retrocessos políticos e socioeconômicos

16h às 17h  – Saúde Menstrual e Saneamento

17h às 18h30 – Acesso a banheiros em locais públicos

18h30 às 20h – Roda de conversa com coletivos de jornalistas periféricos 

Quarta, dia 24/11 – Saneamento tem solução!

10h às 11h – Agenda para o Saneamento e Recursos Hídricos em 2022: regulamentações estaduais, agenda regulatória, crise hídrica, eleições 2022

11h às 12h – Saneamento e racismo ambiental

14h às 15h – Saneamento, Adaptação e Resiliência: “como “aterrissar” a COP 26?

16h às 17h – Caminhos para a universalização do esgotamento sanitário: sistemas centralizados e descentralizados

17h às 19h – Roda de Conversa: Troca de experiências sobre soluções

Dia Mundial do Banheiro 2021

Para dar atenção a esta data da ONU, foi realizada um evento de abertura com a transmissão de entrevistas com os Relatores Especiais da ONU sobre os Direitos Humanos à Água e ao Saneamento, Catarina de Albuquerque (relatora da ONU de 2008 a 2014), Léo Heller (que ocupou o cargo de 2014 a 2020) e Pedro Arrojo (atual relator).

Parceiros